terça-feira, 14 de julho de 2020

Phil Hellmuth X Tom "Durrrr" Dwan - 2008





National Heads Up Poker Championship 2008, Temporada 4, Episódio 1, a grande temporada começa com foco no duelo entre Phil Hellmuth e Tom Dwan, e mais tarde, Chris "Jesus" Ferguson e John Juanda.

Participam desta temporada os jogadores:
Jason Alexander, Patrik Antonius, Jean-Robert Bellande, David Benyamine, Andy Bloch, Chad Brown, Doyle Brunson, Todd Brunson, Johnny Chan, Don Cheadle, Scott Clements, T.J. Cloutier, Allen Cunningham, Freddy Deeb, Annie Duke, Tom Dwan, Eli Elezra, Shannon Elizabeth, Antonio Esfandiari, Sam Farha, Chris 'Jesus' Ferguson, Scott Fischman, Ted Forrest, Clonie Gowen, Barry Greenstein, Sam Grizzle, Joe Hachem, Gus Hansen, Jennifer Harman, Phil Hellmuth Jr., Orel Hershiser, Phil Ivey, John Juanda, Gabe Kaplan, Tom Kelly, Alisha Kunze, Phil Laak, Howard Lederer, Erick Lindgren, Jonathan Little, Mike Matusow, Michael Mizrachi, Chris Moneymaker, Daniel Negreanu, Oliver 'Ali' Nejad, Scotty Nguyen, Hooman Nikzad, David Pham, Greg Raymer, Vanessa Rousso, Tom Schneider, Dan Schreiber, Huck Seed, Erik Seidel, David Singer, Gavin Smith, Jennifer Tilly, Brian Townsend, J.C. Tran, Kenny Tran, Paul Wasicka, David Williams, Jerry Yang.

Imperdível!!!



domingo, 12 de julho de 2020

WSOP Online 2020






GGPoker anuncia cronograma WSOP Online 2020

Main Event tem US$ 25 milhões GTD




O muito antecipado cronograma da World Series of Poker Online 2020 no GGPoker foi finalmente anunciado — 54 eventos de bracelete entre 19 de julho e 6 de setembro.

Os buy-ins dos eventos WSOP Online no GGPoker variam entre US$ 50 do Big 50, o evento de bracelete mais barato na história da WSOP, e US$ 25.500 do NLH Poker Players Championship.


Main Event tem maior garantido da história do poker online

O grande destaque do festival é o US$ 5.000 Main Event, evento com início programado para 16 de agosto e com um impressionante prize pool de US$ 25.000.000 garantidos — o maior garantido de sempre da história do poker online!

O Main Event da WSOP Online é um evento de três dias e oferece múltiplos dias iniciais, todos disputados no formato freezeout. O Dia 2 acontece no dia 30 de agosto.


Mais de US$ 60 milhões em garantidos

O cronograma conta com um total de 12 eventos com prize pool garantido (marcados a bold na tabela abaixo), incluindo o The Opener, o Mini Main Event, o COLOSSUS e o PLOSSUS.

O total em garantidos ultrapassa os US$ 60 milhões, com o US$ 25m GTD Main Event, o US$ 10m GTD NLH Poker Players Championship e o US$ 5m GTD WSOP Super MILLION$ entre os grandes destaques.

Outros eventos

Como esperado, o cronograma da WSOP Online 2020 na GGPoker é composto maioritariamente por eventos No Limit Hold'em, mas também oferece várias chances para os fãs de Pot Limit Omaha. Além disso, os jogadores vão poder brigar por um bracelete WSOP em dois eventos Limit Hold'em e três eventos Short Deck.

O cronograma incluiu ainda quatro eventos 'Players Choice', uma novidade na WSOP, com os jogadores a terem a chance de votar em seus eventos preferidos que irão preencher as slots referentes aos Eventos #47-50.

Os satélites WSOP Online começam nas mesas do GGPoker no dia 1º de julho e vão rolar ao longo de todo o festival.

Cronograma de transmissões WSOP Online

Também foram anunciados 12 eventos com as mesas finais a serem transmitidas ao vivo no Twitch da GGPoker em parceria com o Poker Central.

Os jogadores que fizerem mesas finais na WSOP Online serão obrigados a usar seu nome real, tornando as transmissões mais emocionantes para quem está em casa acompanhando toda a ação.

DataHora (GMT)Evento
Quinta, 23 de julho 18:00 Event #4: $5,000 Pot Limit Omaha Championship
Sábado, 25 de julho 18:00 Event #2: $1,111 Every 1 for Covid Relief [Caesars Cares]
Quinta, 30 de julho 18:00 Event #12: $10,000 Short Deck No Limit Hold'em Championship
Sábado, 1 de agosto 18:00 Event #10: $400 Colossus & Event #11: $400 PLOssus
Quinta, 6 de agosto 18:00 Event #19: $2,100 No Limit Hold'em Bounty Championship
Sábado, 8 de agosto 18:00 Event #17: $1,500 Millionaire Maker
Quinta, 13 de agosto 18:00 Event #26: $5,000 No Limit Hold'em 6-Max Championship
Sábado, 15 de agosto 18:00 Event #25: $10,000 Heads-Up NLHE Championship
Quinta, 20 de agosto 18:00 Event #33: $600 No Limit Hold'em Deepstack Championship
Quinta, 27 de agosto 18:00 Event #40: $1,500 Limit Hold'em Championship
Sábado, 29 de agosto 18:00 Event #38: $25,000 NLH Poker Players Championship
Sábado, 5 de setembro 18:00 Event #45: $5,000 No Limit Hold'em Main Event


Cronograma WSOP 2020 Online no GGPoker

DataHora (GMT) Buy-in

19 de julho 18:30 Event #1: $100 The Opener [Final Day], $2M GTD $100 2-Day Event, 1-RE Flights
19 de julho 18:00 Event #2: $1,111 Every 1 for Covid Relief [Caesars Cares] $1,111 2-Day Event
19 de julho 20:00 Event #3: $525 Super Turbo Bounty No Limit Hold'em 6-Handed $525
21 de julho 18:00 Event #4: $5,000 Pot Limit Omaha Championship $5,000
22 de julho 18:00 Event #5: $1,500 FIFTY STACK No Limit Hold'em $1,500
23 de julho 18:00 Event #6: $1,050 Bounty Pot Limit Omaha $1,050
25 de julho 12:00 Event #7: $600 Monster Stack No Limit Hold'em 6-Handed $600 Asia Time Zone
26 de julho 12:00 Event #8: $1,500 No Limit Hold'em $1,500 Asia Time Zone
26 de julho 18:00 Event #9: $2,500 Pot Limit Omaha $2,500
26 de julho 18:30 Event #10: $400 COLOSSUS [Day 2], $3M GTD $400 3-Day Event, 1-RE Flights
26 de julho 19:00 Event #11: $400 PLOSSUS [Day 2], $1M GTD $400 3-Day Event, 1-RE Flights
28 de julho 18:00 Event #12: $10,000 Short Deck No Limit Hold'em Championship $10,000
29 de julho 18:00 Event #13: $2,500 No Limit Hold'em 6-Handed $2,500
30 de julho 18:00 Event #14: $840 Bounty No Limit Hold'em $840
1 de agosto 12:00 Event #15: $500 Deepstack No Limit Hold'em $500 Asia Time Zone
2 de agosto 12:00 Event #16: $1,000 Short Deck No Limit Hold'em $1,000 Asia Time Zone
2 de agosto 18:30 Event #17: $1,500 MILLIONAIRE MAKER [Day 2], $5M GTD, $1M to 1st $1,500 3-Day Event, 1-RE Flights
2 de agosto 20:00 Event #18: $500 Turbo Deepstack No Limit Hold'em $500
4 de agosto 18:00 Event #19: $2,100 No Limit Hold'em Bounty Championship $2,100
5 de agosto 18:00 Event #20: $400 Pot Limit Omaha $400
6 de agosto 18:00 Event #21: $1,000 No Limit Hold'em $1,000
8 de agosto 12:00 Event #22: $800 Double Stack Pot Limit Omaha $800 Asia Time Zone
8 de agosto 18:00 Event #23: $10,000 Heads Up No Limit Hold'em Championship [No Late Reg, 128 Cap] $10,000 2-Day Event, Freezeout
9 de agosto 12:00 Event #24: HK$8,000 No Limit Hold'em Asia Championship [Final Day], HK$8M GTD HK$ 8,000 2-Day Event, 1-RE Flights
9 de agosto 17:00 Event #25: $1.500 GGMasters WSOP Edition [High Roller], $2.5M GTD $1.500 Freezeout
9 de agosto 17:00 Event #26: $150 GGMasters WSOP Edition [Freezeout], $1M GTD $150 Freezeout
11 de agosto 18:00 Event #27: $5,000 No Limit Hold'em 6-Handed Championship $5,000
12 de agosto 18:00 Event #28: $2,500 Double Stack No Limit Hold'em $2,500
13 de agosto 18:00 Event #29: $525 Bounty No Limit Hold'em 6-Handed $525
15 de agosto 12:00 Event #30: $300 Monster Stack No Limit Hold'em 6-Handed $300 Asia Time Zone
16 de agosto 18:00 Event #31: $1,500 Pot Limit Omaha $1,500
16 de agosto 18:30 Event #32: $500 Mini Main Event [Final Day], $5M GTD $500 2-Day Event, 1-RE Flights
16 de agosto 20:00 Event #33: $840 Super Turbo Bounty No Limit Hold'em $840
18 de agosto 18:00 Event #34: $600 No Limit Hold'em Deepstack Championship $600
19 de agosto 18:00 Event #35: $800 Pot Limit Omaha $800
20 de agosto 18:00 Event #36: $500 Limit Hold'em $500
22 de agosto 12:00 Event #37: $500 Deepstack No-Limit Hold'em $500 Asia Time Zone
23 de agosto 12:00 Event #38: $1,500 Marathon No Limit Hold'em $1,500 Asia Time Zone
23 de agosto 18:00 Event #39: $25,000 NLH POKER PLAYERS CHAMPIONSHIP, $10M GTD $25,000 2-Day Event
23 de agosto 18:30 Event #40: BIG 50 [Final Day], $1M GTD $50 2-Day Event, 1-RE Flights
25 de agosto 18:00 Event #41: $1,500 Limit Hold'em Championship $1,500
26 de agosto 18:00 Event #42: $1,000 No Limit Hold'em 6-Handed $1,000
27 de agosto 18:00 Event #43: $1,500 Pot Limit Omaha $1,500
29 de agosto 12:00 Event #44: $300 Double Stack No Limit Hold'em $300 Asia Time Zone
30 de agosto 18:00 Event #45: $400 FORTY STACK No Limit Hold'em $400
30 de agosto 18:30 Event #46: $5,000 No Limit Hold'em Main Event [Day 2], $25M GTD $5,000 3-Day Event, Feezeout Flights
30 de agosto 20:00 Event #47: $1,000 Turbo No Limit Hold'em 6-Handed $1,000
1 de setembro 18:00 Event #48: People's Choice Event [Most Popular] TBA TBA by Vote
2 de setembro 18:00 Event #49: People's Choice Event [Pros Vote] TBA TBA by Vote
3 de setembro 18:00 Event #50: People's Choice Event [Spin the Wheel] TBA TBA by Vote
5 de setembro 18:00 Event #51: $1,050 Beat the Pros [Bounty] $1,050
6 de setembro 18:00 Event #52: $10K WSOP Super MILLION$, $5M GTD $10,000 2-Day Event
6 de setembro 18:30 Event #53: $100 WSOP MILLION$ [Final Day], $2M GTD $100 2-Day Event, 1-RE Flights
6 de setembro 20:00 Event #54: $500 The Closer [LAST CHANCE] $500

Fonte: Poker News



quarta-feira, 8 de julho de 2020

Como Jogar Straight Draw


3 estratégias para jogar um straight draw



por MunhozVs


Se você fica com duvida sobre como jogar um straight draw no flop ou até mesmo no turn eu tenho uma boa notícia!

Neste artigo quero compartilhar com você 3 dicas para jogar um straight draw. Depois desta leitura tenho certeza que você vai estar muito mais preparado para jogar este tipo de mão daqui pra frente.


Qual o significado da palavra straight draw ou a tradução?

Muitos jogadores iniciantes tem a curiosidade de saber qual o significado ou a tradução da palavra straight draw.


Se você pesquisar no google pela tradução da palavra straight draw ele vai retornar a tradução “empate direto” que não faz nenhum sentido rsrs


Um straight no poker se refere a quando formamos uma mão com 5 cartas em sequência, por exemplo, digamos que você tem 6♦7♠ e o flop vem 5♥8♦9♠.



Já a palavra draw se traduzida separadamente se refere a desenho ou desenhar, então um straight draw é uma espécie de rascunho (desenho) de um straight, ou seja quando você tem uma mão que tem a possibilidade de formar um straight caso bata mais uma carta que te de uma sequência.


Open ended straight draw e gutshot straight draw.

Existem 2 tipos possíveis de straight draw, o primeiro se refere ao open ended straight draw, que é quando temos a possibilidade de formar a nossa sequência caso bata uma carta de uma das pontas do nosso draw.


Por exemplo digamos que temos 4♦5♠ e o flop vem 6♥7♣Q♠, aqui podemos formar um straight tanto se bater um 3 quanto se bater um 8, nessa situação costumamos dizer que estamos “duas pontas”.



O outro tipo de straight draw é o gutshot, ou mais popularmente chamado de “broca”, nessa situação nós temos uma mão que só forma um straight caso bata uma carta específica, por exemplo:


Digamos que você tem os mesmos 4♦5♠ só que dessa vez o flop vem 7♣8♥J♥ nessa situação ainda é possível fazer um straight porém a única carta que nos ajuda é o 6, aqui costumamos dizer que estamos na broca.



Provavelmente você já ouviu um ditado que diz: “Broca boa é broca cara!”

Tome cuidado este é um dos erros mais graves que você pode cometer ao jogar este tipo de mão, ficar pagando sem ter o preço correto para perseguir o seu draw.


Quais são as odds de um straight draw.

Quando falamos sobre odds vejo MUITOS jogadores errarem.

Isso por que muitos confundem as chances de fazer um straight até o river com as chances fazer um straight somente com a próxima carta, e isso faz com que eles acabem tomando decisões matematicamente ruins.

Então vamos esclarecer esta situação de uma vez por todas.

Quando estamos duas pontas existem mais 8 cartas que podem nos ajudar a formar o nosso jogo, voltando ao exemplo do 4♦5♠ no flop vem 6♥7♣Q♠

Se bater qualquer 8♠ 8♦ 8♥ 8♣ 3♠ 3♦ 3♥ 3♣ nos acertamos nosso straight.

Para descobrir as chances de acertar uma destas cartas em porcentagem basta multiplicar este número por 2 para descobrir as chances de acertar na próxima carta

Ou multiplicar por 4 para as chances de acertar nas próximas duas cartas que baterem, logo:

As chances de acertar um straight nas próximas duas cartas (turn + river): 8 x 4 = 32%

As chances de acertar um straight na próxima carta (só no turn ou só no river): 8 x 2 = 16%


Vale ressaltar que esses são valores aproximados e fazer essa multiplicação por 2 ou por 4 é uma maneira prática de conseguir descobrir aproximadamente as suas chances em tempo real enquanto estiver jogando.


Se usarmos a fórmula exata para descobrir as chances esse número vai mudar um pouquinho indo para 17% na próxima carta e 31,5% nas próximas duas cartas, como pode notar não muda muita coisa e usar a regra de multiplicar por 2 ou por 4 vai servir durante o jogo.


3 Estratégias para jogar seus straight draws.

Agora que você conhece suas chances de acertar um straight e não vai mais cometer o erro de iniciante de fazer a conta errada é hora de passarmos para as 3 estratégias para jogar este tipo de mão, então vamos lá.


1 – Contra um oponente seja mais agressivo, mas contra vários não se empolgue.

Esta é uma dica que se aplica para qualquer mão de draw que você esteja jogando, isso por que quando estamos enfrentando vários jogadores as chances de alguém ter acertado algo no flop aumenta consideravelmente, logo decidir apostar com o nosso semi blefe nem sempre vai ser uma boa ideia.

Já contra apenas um oponente é muito melhor jogar agressivamente, isso por que nas vezes que ele não acertar nada no flop e você apostar pode já ganhar o pote, muitas vezes inclusive fazendo ele foldar mãos melhores do que a sua.

E mesmo que tome um call você ainda tem chances de melhorar a sua mão e acertar o seu draw ou até mesmo um par que pode te dar algum valor de showdown.

2 – Utilize o check/raise como uma opção quando estiver jogando fora de posição.

Outra estratégia bem útil quando estamos jogando o nosso draw é utilizar o famoso check/raise quando estivermos fora de posição.

Esta jogada é especialmente boa nos limites mais baixos do jogo onde muitos jogadores ainda cbetam com mais frequência do que deveriam, normalmente eles fazem isso porque nestes limites a maioria dos jogadores não utilizam o check/raise com a frequência que deveriam utilizar.

Só tome cuidado caso o seu oponente pague o seu raise, provavelmente ele terá uma mão de valor médio ou alto para continuar e você ainda vai estar jogando fora de posição, então a não ser que esteja duas pontas com duas overcards continuar apostando no turn nem sempre vai ser a melhor opção.


3 – Não siga o ditado que broca boa é broca cara.

Quando temos um straight draw com uma broca apenas 4 cartas podem nos dar uma sequência.

Isso é metade das chances de quando estamos duas pontas, então evite ficar pagando para acertar com este tipo de jogo, a não ser que você tenha um plano B para a sua mão e também tenha excelentes implied odds.

A dica prática aqui é, quando tiver uma broca mas com overcards em relação ao board você tem mais equidade afinal além da broca você também pode acertar um top par nas streets futuras, então aqui você pode continuar com mais frequência.

Já se tiver uma broca com cartas abaixo do board não se apegue muito a sua mão pois vai ser difícil de vencer a não ser que acerte um dos seus 4 outs, não seja o tiozão que paga para acertar e quando acerta fala “broca boa é broca cara”.


Conclusão:

Assim como em tudo no poker, não existe uma fórmula pronta para copiar e colar e usar sempre em determinada situação.

Isso porque sempre temos que analisar diversas variáveis como perfil do nosso oponente, tamanhos de stacks, momento do jogo e outras coisas.

Mas o que existe são são linhas gerais que podem ser utilizadas e que aumentam as nossas chances de sucesso quando passamos por uma determinada situação, e é isso que eu quero que este artigo seja pra você.

Uma base para seguir a partir de agora quando for jogar seus straight draws, espero que tenha gostado do artigo e se gostou não se esqueça de compartilhar com aquele seu amigo que também joga poker e que vai gostar de ler este conteúdo e isso ajuda o nosso trabalho aqui no blog.


Um forte abraço e GL nas mesas.




domingo, 5 de julho de 2020

Como se vestir para Jogar Poker?


Como se vestir em uma mesa de Poker?


Fala TIME, tudo certo com vocês? Como se vestir para o Poker? Essa é uma dúvida que muitos fãs e jogadores recreativos tem: existe algum código de moda utilizado por jogadores profissionais de poker? Nesse conteúdo colaborativo, vamos falar sobre isso agora, GO!!!

Essa é uma dúvida que muitos fãs e jogadores recreativos tem: existe algum código de moda utilizado por jogadores profissionais de poker? Essa questão cresceu mais ainda desde que os torneios mais famosos passaram a ser transmitidos online em todo o mundo. Há também quem se pergunte se esse esporte, à maneira dos outros, deveria também utilizar um traje especial.

Por enquanto não há de fato um consenso sobre isso, embora seja aconselhável se vestir bem durante as transmissões públicas. Nos torneios mundiais, como o WSOP, não há uma regra e os cassinos em sua maioria também não impõem condutas no vestuário, salvo alguns cassinos na Europa que tem um código próprio para que os jogadores entrem no recinto.



Imagem: O jogador e ator Kevin Hart, que sempre opta por roupas confortáveis, e objetos como relógios e óculos escuros.


A pergunta sobre o que vestir é bem capciosa tendo em vista que tudo que diz respeito ao jogo tem muito a ver com astúcia e raciocínio e esconder o jogo é uma das habilidades mais esperadas de um bom jogador profissional. A maneira como ele se veste e sua postura poderá influenciar a forma como os outros se sentirão em sua presença, trazendo sentimentos de dúvida ou admiração de acordo com a postura.

Um jogador profissional sabe muito bem que o oponente estará de olho em seus gestos e inclusive em suas microexpressões, e saberá utilizar isso a seu favor. Mas se não há regras, há algumas tendências verificadas nas salas de todo mundo:

1. Os acessórios sempre são bem vindos


Imagem: O jogador Patrick Leonard usa bonés em praticamente todos os jogos

O uso de acessórios é quase obrigatório nos torneios e quem acompanha já deve ter percebido. Mas há uma observação muito pertinente quanto a isso: eles podem ser usados tendo em vista a questão da moda, mas acredite, a maior parte deles tem sua utilidade. São utilizados para causar uma imagem falsa ou até mesmo intimidar, engar o adversário e esconder o jogo.

Muitos jogadores não abrem mão de um boné, como é o caso do britânico Patrick Leonard, membro da equipe partypoker, que é uma das principais marcas do poker mundial. Os óculos de sol também são bem presentes nas mesas e bastante utilizados também para privar os adversários das intenções de jogos. Além desses acessórios, os jogadores costumam usar para a mesma utilidade cachecóis (que ao mesmo tempo que servem para cobrir a boca escondendo expressões também aquecem do frio) e jóias que mostram o
poder ou passam determinada imagem.

Os relógios, por sua vez, acabam sendo acessórios úteis, já que muitos cassinos não dispõem dos horários em todos os ambientes e é necessário manter-se informado sem ter que se deslocar ou perguntar ao colega da mesa. Alguns também vão além, e usam fones de ouvido em determinados momentos para não terem tanto contato social, se desligando de barulhos locais para melhor se concentrar. Mas essa é uma questão que mais tem a ver com o social do que com a moda.


2. O jogador deve estar sempre bem confortável


Imagem: O jogador Phil Hellmuth, cuja marca registrada são as roupas escuras

Não importa qual o estilo, se esportivo ou clássico. O jogador deve manter-se sempre confortável. Uma sala de poker geralmente é muito fria para que os computadores mantenham-se funcionando durante os longos períodos, e isso pode trazer desconforto se o jogador for para o local com roupas muito leves. É aconselhável o uso de um casaco que
possa ser facilmente tirado e não interfira nos deslocamentos para outros ambientes. Os casacos podem ter capuz, que além de servir para aquecer, também tirará um pouco do campo de visão que o adversário tem de seu rosto.



Imagem: Josip Simunic opta sempre por calçados mais confortáveis durante as competições

Os calçados, igualmente, devem primar sempre pelo conforto. Afinal, serão de 10 a 12 horas, e embora na maior parte do tempo sentados, ninguém deveria tirá-los por estarem apertados demais. O uso também dependerá do estilo, mas os sapatos sociais ou tênis sempre deverão estar impecavelmente confortáveis. Nada contra os chinelos, pois não há nada mais confortável que eles, mas em casos de eventos públicos, embora não exista uma regra quanto a isso, há ainda normas sociais. O melhor é deixá-los em casa.

Como podemos perceber, a aparência é tudo dentro do jogo de poker, mas não só no sentido de moda. Todos estão o tempo todo tentando obter informações a respeito dos outros, e a aparência é por vezes a única visão que terão do adversário.

Uma última questão também é observada com relação às roupas: vestir-se de acordo faz com que a pessoa se identifique com a atividade que está exercendo. Não é por acaso que muitos se transformam e mudam a postura quando coloquem seus trajes de trabalho. Nada é por acaso, e com o poker ocorre algo similar, já que o jogador se utiliza de sua linguagem corporal e estilo para passar uma imagem.

Fonte: MachoModa


sexta-feira, 3 de julho de 2020

Tamanho de Apostas


Meça suas palavras


Um papo sobre uso e interpretação de tamanhos de apostas



por  Fábio F1oba Maritan


A arte de jogar poker é instigante. O crescente número de adeptos evidencia o quanto a atividade recruta novos caçadores da sensação de vencer um torneio, passar um bom blefe ou simplesmente se divertir nas mesas. Uma energia desafiadora que, com certeza, vai bem além das cifras envolvidas. Evidente que, em um cenário altamente competitivo, os competidores busquem vantagens para se diferenciar dos demais. Um dos pontos imprescindíveis para a diferenciação, principalmente em torneios, é trabalhar e ser atento ao tamanhos de apostas (size bets).

Ao praticar poker, nada diz mais sobre as intenções dos jogadores do que as interpretações dos tamanhos de apostas utilizados em múltiplos contextos. Apostas têm significados e isso não pode ser simplesmente negligenciado. Quando se fala em foco ao agir e observar, isso diz muito sobre coerência. Interpretar se aquele tamanho de aposta é harmonioso com a intenção. Oras, abre-se um leque gigantesco de possibilidades quando não temos size bets engessados ou simplesmente automáticos. Perceba quanta vantagem pode haver apenas por parar e pensar qual o tamanho de aposta vai facilitar uma extração de valor? Ou mesmo extrair mais do que o convencional? Por que não? Quanto devo fazer para deixar desconfortável uma parte do range adversário e forçá-lo a largar, por exemplo? Posso levantar uma série de perguntas por aqui, mas a pergunta principal seria: você já parou para pensar exatamente o porquê das suas apostas?

Falando primeiramente do poker online, é muito comum os jogadores terem apostas engessadas e padronizadas. Com botões de apostas pré-definidos, muitos jogadores estão extraindo menos que poderiam ou gastando mais fichas que deveriam simplesmente pela negligência de um esforço. São aqueles jogadores que “apostam por apostar”, que replicam padrões e apenas clicam nos botões de forma rápida e automática. Um jogo sem questionamentos, limitado. O interessante é que esse tipo de postura, o jogo mais básico, também chamado de “ABC”, tem certo embasamento e funciona até determinado nível. O que ocorre é que, para se alcançar patamares cada vez mais altos, definitivamente não é o suficiente. Quanto mais elevado o nível de seus adversários, mais eles estarão atentos aos seus size bets. Lembre-se: o dinheiro está no acúmulo de detalhes.

No poker live, as informações sobre tamanhos de apostas e stacks não são tão explícitas quanto no online, já que carecem do esforço de contagem por parte dos jogadores e dealers. Tal fato, ao meu ver, abre ainda mais espaço para se trabalhar os size bets. Quantas vezes você já se sentou contra aquele jogador que, não importa o quanto você coloque, você sabe que ele irá de pagar? Ele simplesmente não percebe a magnitude em big blinds que um pote pode alcançar, muito menos vai se esforçar a perceber. Ele simplesmente se cegou com o valor que tem e você tem de se aproveitar disso. Perceba o quanto pode ser benéfico você não se limitar a uma aposta de 50% do pote, por exemplo? Mais uma vez, cabe aqui parar e pensar buscando sempre o máximo possível da situação.

Para torneios em geral, cabe ressaltar que manipular size bets de acordo com suas intenções e convicções se torna cada vez mais efetivo a medida que o torneio se afunila. Em situações onde temos jogadores pressionados, nada tira mais o conforto do jogo alheio do que size bets criativas e bem trabalhadas. Na reta final, com as premiações maiores saltando aos olhos, os jogadores de forma geral tendem a largar suas cartas mais do que deveriam. Esse é o momento de soltar a criatividade e deixar o jogo ainda mais desconfortável para eles. Consequentemente, com experiência, você se torna um jogador mais completo, imprevisível e incômodo de ser combatido.

No mais, para evoluir no meio atente-se que é preciso lapidar detalhe por detalhe de seu jogo. Para size bets, exercer a criatividade é fundamental, porém um profissional de referência pode auxiliar e muito a trabalhá-los. Criatividade parte de cada um, porém ela pode ser engatilhada através da apresentação de exemplos e situações reais já vividas.

Sucesso nas mesas e até a próxima.


Fonte: CardPlayer




sábado, 27 de junho de 2020

Curso A Dinêmica do Poker




A DINÂMICA DO POKER



O Curso A Dinâmica do Poker é um novo curso 100% online, focado nas principais estratégias para se jogar poker de forma vencedora e lucrativa. 

São 10 módulos que vão te mostrar como pensar e entender o Poker corretamente e se destacar nas mesas de poker!

Módulo 1 - Mind Set no Poker
O Primeiro passo para ser lucrativo no Poker é a configuração da sua mente.

Módulo 2
Dinâmica do Poker
Vamos abordar os 5 elementos fundamentais para você jogar Poker em outro nível 

Módulo 3
Dominando Valor e Blefe
Domine a maior estratégia do Poker

Módulo 4
Raciocinando Ranges
Aprenda a explorar a força da sua mão em determinados situações, assim como explorar jogadas altamente lucrativas.

Módulo 5
Princípios da Lucratividade
4 princípios que todo jogador lucrativo conhece e aplica no seu jogo.

Módulo 6
Estratégias Avançadas
A importância de jogar Poker sem considerar o fator randômico do baralho.

Módulo 7
Criação de Cenários no Poker
Reconfigure sua forma de "Pensar" Poker.

Módulo 8
Analise Flop, Turn e River
Aprenda à analisar e explorar as cartas comunitárias.

Módulo 9
Software de Apoio
Entender o conceito por trás do uso de software de apoio e como ele te coloca a frente dos adversários.

Módulo 10
Representação Avançada no Poker
Técnicas avançadas que jogadores profissionais utilizam como "vantagens" contra seus adversários.


Esse curso foi inspirado após a realização de Coach com 3 grandes jogadores do Poker brasileiro somadas a todas as experiências após meses jogando poker nos melhores cassinos de Las Vegas .

Cada vídeo aula do curso aborda uma estratégia de jogo e seus principais fundamentos, explicando como pensar uma mão de poker e como explorar as estratégias de jogo da mesma forma que os jogadores profissionais.

Esse curso é com certeza uma chave para jogar poker em um nível avançado.




quarta-feira, 24 de junho de 2020

Pensar Demais na Mesa de Poker


Level no poker: como pensar demais pode lhe custar dinheiro na mesa de poker




por Alex Sal


Em 1999 (e depois em 2006), David Sklansky, em seu renomado livro ‘A Teoria do Poker’ (The Theory of Poker), apresentou ao mundo os diversos níveis de pensamento no poker.

Para aqueles que não conhecem o conceito, podemos resumir conforme exibido a seguir (com uma breve renumeração da versão original para incluir ações puramente irracionais):
Nível 0: Eu sequer me importo com minhas próprias cartas.
Nível 1: Quão forte é minha mão?
Nível 2: Quão forte é a mão deles?
Nível 3: Quão forte eles pensam que minha mão seja?
Nível 4: Quão forte eles pensam que eu penso que minha mão seja?
Nível 5: Quão forte eles pensam que eu penso que eles pensam que minha mão seja?
Nível 6+: E assim por diante.

Como a leitura fica um pouco difícil, eu geralmente substituo a construção verbal do Nível 3, bastante complexa, “Quão forte eles pensam que minha mão seja?”, por uma construção bem mais intuitiva: “O que eu represento?“, que é uma forma mais concisa de expressar como nosso oponente essencialmente vê nossa mão.

A sequência apresentada é então simplificada:
Nível 0: Eu sequer me importo com minhas próprias cartas.
Nível 1: Quão forte é minha mão?
Nível 2: Quão forte é a mão deles?
Nível 3: O que eu represento?
Nível 4: O que eles representam?
Nível 5: O que eles pensam que eu represento?
Nível 6+: E assim por diante.

Vejamos alguns exemplos comportamentais de ações que se enquadram nestas categorias para entender um pouco melhor:
Nível 0: Alguém que vai all-in direto em toda mão.
Nível 1: Uma jogada na qual o jogador “casa” com sua própria mão (boa ou ruim).
Nível 2: Uma linha fit or fold (acertou ou largou) que “acredita” na história do oponente.
Nível 3: Um blefe sofisticado que se aproveita da textura de um bordo complexo e intimidador.
Nível 4: Uma jogada que “lê as entrelinhas” e que paga um blefe com sucesso.
Nível 5: Quando a Carol achar que o Paulo espera que ela blefe, ela optará por apostar por valor, em vez de blefar.

Por exemplo, quando a Carol blefa se aproveitando de uma scare card que seja mais provável ter melhorado o seu próprio range do que o range do oponente, ela está pensando no Nível 3, porque ela está usando a textura da mesa para representar força.

Da mesma forma, quando o Paulo tentar blefar no river simplesmente porque ele não consegue vencer no showdown (i.e., sua mão não é forte o bastante), ele está apenas pensando no Nível 1. O interessante aqui é que para um olho não treinado ambos jogadores parecem estar fazendo a mesma coisa (blefar), embora a justificativa de cada um deles seja muito diferente.

Como veremos, não se trata de uma coincidência, já que estes níveis possuem uma ciclicidade nata. Na verdade, esta “ciclicidade” é exatamente o que torna o poker tão complicado e eletrizante.

Para piorar ainda mais as coisas, acontece que enfrentar o Nível 1 de pensamento é o pior pesadelo dos jogadores no Nível 3 de pensamento. Pode soar um tanto quanto paradoxo, mas em uma disputa entre dois oponentes, o Nível 3 toda vez perde para o Nível 1. Você precisa estar exatamente um nível acima do seu oponente para que o nível de pensamento tenha eficácia.


A espiral dos níveis de pensamento em jogos

Neste ponto, não chega ser uma surpresa que a espiral de níveis de pensamento desempenha um papel bastante importante em jogos. Talvez o exemplo mais clássico seja o Pedra-Papel-Tesoura (PPT).





Neste jogo, é bem sabido que a maioria dos iniciantes começam com a Pedra. Este fenômeno é conhecido como “Rookie’s Rock”, ou “Pedra de Novato” (Nível 1). Este simples fator é capaz de criar uma dinâmica muito interessante. Por exemplo, com qual opção a Carol deve jogar nos seguintes cenários?
Nível 2: Carol espera que Paulo comece com Pedra;
Nível 3: Carol espera que Paulo espere que ela comece com Pedra;
Nível 4: Carol espera que Paulo espere que ela espere que ele comece com Pedra;
Nível 5: Carol espera que Paulo espere que ela, esperando que ele, espere que comecemos com Pedra.

Um pouco de raciocínio nos revela as seguintes respostas:
Nível 2: Papel;
Nível 3: Tesoura;
Nível 4: Pedra;
Nível 5: Papel.

Por exemplo, no Nível 2, a Carol simplesmente espera que Paulo comece com Pedra, fazendo com que Papel seja a estratégia óbvia para ela. A seguir, no Nível 3, a Carol assume que o Paulo sabe da estratégia de “Rookie’s Rock”, portanto ela assume que ele tentará se beneficiar deste fato, optando por Papel. Portanto, a estratégia correta seria Tesoura.

Da mesma forma, no Nível 4, a Carol assume que o Paulo está esperando um ataque seu contra sua estratégia esperada de “Rookie’s Rock”. Em outras palavras, o Paulo espera que a Carol use Papel, portanto ele começará com Tesoura. Se este for ocaso, a Carol deve começar com Pedra, completando efetivamente um círculo completo! E assim por diante…

Portanto, o que acontece se a Carol estiver pensando no Nível 3, mas o Paulo não for um jogador sofisticado de PPT que simplesmente começa com Pedra (Nível 1), como a maioria das pessoas? A resposta é simples, a Tesoura da Carol vai perder para a estratégia de “Rookie’s Rock” do Paulo. De fato, a Carol pensou demais na situação em seu próprio detrimento.

Mais uma vez, o Nível 1 ganhou do Nível 3! Perceba que se ela simplesmente pensasse apenas um nível acima em relação ao Paulo (Nível 2), ela teria escolhido Papel e teria vencido.


Exatamente um nível acima, nem mais, nem menos…

O segredo aqui é que não importa quão alto seja o nível na espiral dos níveis de pensamento. O que realmente importa é sua posição relativa no círculo que nos é apresentado na vista superior da espiral. Pedra ganha da Tesoura, não importa quão avançado seja o processo de raciocínio.

Isto dito, saber a estratégia do oponente é útil, pois possibilita ter uma vantagem ao pensar exatamente um nível acima do oponente. Se pensarmos um nível abaixo, falhamos, e se pensarmos muito acima, estamos pensando demais. Existe uma linha bem tênue entre estes dois cenários.


Relação com o poker

Isto nos leva de volta ao poker.

E o que isto tem a ver com jogadores vencedores, como é o caso da Carol? Existem vários motivos.

Para começar, a espiral dos níveis define o jogo de poker de forma fundamental, muito igual à forma que define um jogo mais simples, como Pedra-Papel-Tesoura.

Além disto, ela se baseia naquilo que faz o poker um jogo de habilidade. Prever como seus oponentes podem se comportar é exatamente o que faz da Carol uma jogadora vencedora. Em outras palavras, a espiral é o marco inicial da maioria das estratégias vencedoras. Entender seu funcionamento e como se beneficiar dele é o que diferencia os jogadores casuais dos jogadores profissionais.

Para mim, esta noção é tão incrivelmente fundamental para o jogo que na verdade eu tenho muita dificuldade em escolher um exemplo prático do poker que possa representar este conceito com justiça. O fato é que a espiral dos níveis se aplica em termos técnicos a cada mão de poker imaginável. De qualquer forma, vejamos um exemplo bem simples para validar nosso ponto.

Exemplo de mão

Imaginemos um jogo ao vivo, com blinds $5/$10 e stacks efetivos de 100 BB’s. A Carol abre do botão apostando $30 com 7♦ 6♦ e seu oponente, Paulo, bastante loose e passivo, faz o call do BB.

Como a maioria dos oponentes loose e passivos, Paulo está mais ou menos pensando no Nível 1, i.e., ele basicamente está preocupado com suas cartas e nada mais. A Carol, por outro lado, é uma jogadora racional que está prestando atenção na posição e nas texturas do board.

O flop traz A♦ 5♠ 4♠ e Paulo faz check. Carol aposta $45 em um pote de $65 pot com seu open-ended straight draw e backdoor flush draw. Paulo faz o call bem rápido. O turn é um J♠, possibilitando um flush de espadas e Paulo faz o check novamente. Carol agora aposta $120 para representar o flush e forçar o fold de pares fracos. Desta vez, Paulo pensa bastante antes de fazer o call.

Finalmente, o river traz o 7♣ e a ação segue novamente em check até a Carol. Sem perder tempo, a destemida Carol aposta $300 em um pote com quase $400. Paulo pensa bastante antes de finalmente fazer o call com A♣ 2♣ e vencer o pote com top pair, sem kicker!

O que aconteceu exatamente? Visto de fora, parece que — devido à ação — Paulo fez um call horrível que praticamente só ganha de blefes.

Com o blefe, a Carol estava tentando “vender” o que ela acredita ser uma história bem convincente de força. Em outras palavras, Carol está pensando no Nível 3 (O que eu represento?). O problema é que o Paulo não é a Carol e ele não sabe o que a Carol sabe, e nem presta atenção à história que se desdobra em frente aos seus olhos.

Paulo pode muito bem estar pensando: “Tenho um par de Ases!”, como se fosse a única coisa que tivesse importância na mão. É o típico pensamento de Nível 1. E como já vimos anteriormente, este nível básico sempre destrói o Nível 3!

Certo, mas o que a Carol poderia ter feito diferente contra o mesmo tipo de jogador?

A resposta é bem simples: Ela poderia ter pensado e agido no Nível 2. Em outras palavras, ela poderia ter tentado estabelecer se o Paulo gosta da mão dele ou não. Se ele gostar, mesmo que remotamente, ela deveria evitar a maioria dos blefes e priorizar apostas baixas por valor.

Se o Paulo for loose o suficiente para jogar contra a Carol em uma textura de board tão complicada e com apenas top pair sem kicker, existe muito valor a ser extraído para a melhor parte do range da Carol.

Obviamente, isto apenas se a Carol for esperta o bastante para esperar acertar a parte mais alta do seu range e então partir para as devidas apostas! Isto é mais fácil dito que feito, claro.

Existe um certo escárnio relacionado à falta de habilidade de novos jogadores em vencer nos stakes mais baixos, quando tais jogadores falam algo do tipo:

“Quero subir de stakes, onde as pessoas vão respeitar meus raises!”

O que na verdade está sendo dito é que:

“Sou incapaz de me ajustar”

Em outras palavras, qualquer desconforto em jogar contra oponentes “encardidos” revela uma falta de habilidade em conseguir apostar baixo por valor e também em realizar folds difíceis (que são igualmente necessários quando os papeis são invertidos).

Um detalhe importante

Agora alguns de vocês podem estar pensando: “Espera, a espiral dos níveis não se trata de uma abordagem exploratória do poker? E, se for, isto não vai contra as estratégias de Teoria de Jogo Ideal (GTO, ou Game Theory Optimal), tão populares recentemente?”. Sim e sim!

Salvo pela assunção implícita de que talvez eu tenha negligenciado considerar tais estratégias ou simplesmente as esqueci. GTO tem sido cuidadosamente levada em consideração, mas advertidamente não incluída no prisma básico de lucratividade do poker vencedor.

Na qualidade de alguém que estudou e ensinou o tópico por anos, acredito que o assunto é geralmente representado de forma errônea na indústria como sendo mais relevante para o sucesso no poker do que realmente é.

As estratégias GTO são como artes marciais. São ótimas de se saber e têm muitas vantagens, mas o melhor é não fazer seu uso. Isto me lembra a famosa frase de Sun Tzu:

“A melhor forma de vencer uma briga é evitando a briga.”

Da mesma forma, as estratégias GTO devem ser vistas como algo que não queremos usar. Não esqueçamos sua natureza defensiva e conservadora. Elas permitem que alguém como a Carol “garanta” uma fração específica do pote para ela, não importa o que os oponentes façam.

Isto significa que, salvo se seu oponente cometer um erro, esta fração será zero (ou menos, se considerarmos o rake). Por exemplo, é fácil ver que a estratégia GTO para Pedra-Papel-Tesoura é a de randomizar as opções de um jogador de forma que o valor esperado seja sempre zero.

Entretanto, se a Carol souber os tipos de erros que seus oponentes vão cometer, por que não tentar tirar o máximo de vantagem destes erros utilizando estratégias exploratórias?

Sabidamente, haverá ocasiões em que a Carol enfrentará uma competição agressiva, então talvez algumas ideias de GTO possam lhe salvar, no sentido de que ela pode aplicar estas estratégias para perder o mínimo ou para garantir uma boa fração na situação ideal. Ou ela pode ainda usar estratégias GTO quando não tiver qualquer informação confiável com a qual possa basear suas estratégias exploratórias.

Felizmente, salvo em raras exceções em que ela terá pouca ou nenhuma opção em relação a contra quem ela vai competir, a seleção do jogo e das mesas pode ajudar muito no que se refere à criação de um ambiente lucrativo para a Carol. Talvez Sun Tzu tinha algo em mente, afinal…

Nota importante do editor: É crucial não misturar ajustes exploratórios com base em informações confiáveis com pensamento cíclico baseado em assunções.

Se você já ouvir alguém dizer algo tipo “você deveria dar fold porque ninguém blefaria nesta situação”, o pensamento cíclico já é familiar para você.

Fonte: ROYALpag


domingo, 21 de junho de 2020

Como Adaptar sua Estratégia


COMO ADAPTAR SUA ESTRATÉGIA DE ACORDO COM O RAKE?




Por: Danilo Telles


NESTE ARTIGO VOCÊ ENTENDERÁ O QUE É RAKE NO POKER, COMO ELE AFETA A SUA LUCRATIVIDADE E COMO VOCÊ DEVE ADAPTAR O SEU JOGO DE ACORDO COM O RAKE COBRADO


O QUE É RAKE?

Rake é a taxa cobrada pelos operadores de um jogo de poker. Se você já jogou cash game em um clube, provavelmente viu o dealer retirar algumas fichas do pote na maioria das mãos – aquelas fichas eram o rake do clube.

E só para citar o óbvio: mais rake NÃO é melhor.


COMO O RAKE É COLETADO?

Há três métodos comuns que as salas de poker usam para cobrar o rake (ordenados a partir do que for mais comum):

1. Rake do pote

O tipo mais comum de cobrança de rake, o rake do pote é de geralmente 2.5% até 10% do pote de cada mão, normalmente até um valor máximo pré-determinado. Algumas salas de poker, entretanto, pegam um valor deterinado de rake do pote independente do tamanho deste pote.

Outras salas de poker não coletam nenhum rake até que o flop seja colocado, então se você aumentar pré-flop e ganhar os blinds, você ganha o pote inteiro. Isso é chamado de “no flop, no drop”.

2. Cobrança por tempo

Cobrança por tempo (também chamado de “rake por tempo” ou “taxa da mesa”) é um valor pré-determinado coletado (geralmente) a cada meia hora de jogo. Esta forma de rake é cobrada de uma de duas maneiras:
Tempo do jogador: Um valor é cobrado de cada jogador.
Pote por tempo: Um valor é cobrado do primeiro pote acima um certo valor.

Rakes por tempo geralmente são reservados para limites maiores ($10-$20 e acima).

3. Dead Drop

Um valor pré-determinado de rake é pago pelo jogador no button de cada mão, que o dealer coleta antes de distribuir as cartas.

COMO O RAKE DEVE INFLUENCIAR SUAS DECISÕES?

Falando de maneira simples, rakes altos diminuem seu EV (Valor Esperado).

Como isso afeta suas decisões? Para resumir, rake alto te força a jogar um estilo mais conservador (tight).

Isso significa que todos aqueles calls marginais pós-flop se tornam folds. Isso também tem um efeito nos ranges pré-flop já que aqueles open-raises, calls e 3-bets marginais também dependiam de apostar por valor, blefes e calls marginais para serem lucrativos.

Consequentemente, você tem que jogar mais tight pré-flop e pós-flop.

QUE SITUAÇÕES SÃO MAIS AFETADAS PELO RAKE NO POKER?

Há duas situações comuns que requerem ajustes particularmente grandes em jogos com rake alto: pagar do big blind e 3-bets. Adiante, focaremos apenas nestas duas situações.

RANGES DE DEFESA DE BIG BLIND

Nessa seção, veremos o processo de construir um range sólido de defesa de big bilnd contra qualquer tamanho de aposta.

Você pode copiar este processo para construir seus próprios ranges baseado na estrutura de rake dos seus jogos.

Vejamos uma mão assumindo um rake limitado a $5 que é cobrado quando o flop é colocado. (This is a typical rake structure for live card rooms, unfortunately.)

Clube local, $1/$2. 9 jogadores. Stacks efetivos $200.

Herói está no BB com duas cartas.
5 foldam. CO aumenta para $8. 2 foldam Hero…?

Vamos descobrir como deveria ser o range de defensa do Herói.

Este processo começa com as pot odds que eles recebem (aprenda a calcular pot odds aqui). O herói precisa pagar $6 para jogar por um pote de $12 (CO aumenta $8 + os $3 dos blinds + call de $6 do hero – $5 do rake):

Pot Odds = $6/$12 = 0.5 = 50% de equidade necessária.

Já que às vezes o Herói será forçado a foldar antes do river ou foldar a melhor mão, ele não conseguirá receber toda sua equidade. É importante ter isso em mente quando defender blinds – dependendo da mão específica, você precisará de um pouco mais ou um pouco menos de 50% de equidade.

UMA PALAVRA RÁPIDA SOBRE RECEBER EQUIDADE

Toda mão recebe equidade diferentemente.

Mãos que são fortes, conectadas e/ou de naipes iguais (suited) tendem a receber mais equidade – pense em AA, Aqo, ou Jts. Estes tipos de mãos frequentemente recebem além de sua equidade – no exemplo acima, podem pagar lucrativamente com menos de 50% da equidade.

Mãos desconectadas e/ou offsuit (de naipes diferentes) tendem a receber menos equidade – pense em A2o ou Q7o. Estes tipos de mãos frequentemente recebem abaixo de sua equidade – no exemplo acima, precisam pagar com mais de 50% da equidade para ter lucro.

Posição e habilidade do jogar também importam quando se fala de realização de equidade. Jogadores em posição recebem mais equidade que jogadores fora de posição. Um profissional veterano recebe mais equidade que um jogador inexperiente porque o profissional jogará melhor no pós-flop.

Então, se sua mão é um call incerto em termos de equidade, você provavelmente deve:
Pagar se tiver uma mão forte com boa jogabilidade ou se vocÊ sente que tem uma vantagem significativa pós-flop.
Fold se você tem uma mão com baixa jogabilidade ou não tem certeza sobre sua vantagem contra seu oponente.

Se nenhuma das duas opções parecer boa com para uma mão em particular, opte pelo 3-bet. Dessa maneira você ganhará experiência mais rápido.

Tendo isso em mente, vamos ver como todas as mãos possíveis no range do nosso Herói jogam contra o range estimado de raise do CO:



O número abaixo de cada mão representa a equidade da mão contra o outro range.

Na esquerda, você tem o range de abertura do CO. Na direita, você pode ver quanta equidade cada mão tem contra o range de abertura do CO.

Antes que eu mostre com que mãos o Herói deve defender, vamos descobrir quanta equidade o Herói precisa para defender se não houver rake.

Pot odds = $6 / $8 (aposta do CO) + $9 (nosso + blinds)
Pot Odds = $6/$12 = 0.35 = 35% de equidade necessária.

A diferença é surpreendente! 50% comparado com 35%. Vejamos como quão diferente é o range de defesa do Herói com e sem rake (cortei as mãos incertas e que provavelmente não receberão equidade suficiente):



O número abaixo de cada mão representa a equidade da mão contra o range de raise do CO.

Você pode fazer esse exercício por conta próprio e mudar as diferentes variáveis como o tamanho do raise e range e se familiarizar com os ranges de defesa apropriados.

RANGES DE DEFESA DE 3-BET

Nessa seção, veremos o processo de construir um range otimizado de call em 3-bets baseado no range do oponente no tamanho do raise.

Como na seção anterior, você pode copiar este processo para construir suas próprias estratégias baseadas nas diferentes variáveis que você encontra (range do oponente, tamanho do raise, valor do rake, etc).

A mão de exemplo que usaremos acontece no mesmo clube, e veremos situações com e sem rake.

Clube local, $1/$2. 9 jogadores. Stacks efetivos $200.

Herói está no CO com duas cartas.
5 foldam. Herói aumenta para $6. BTN aumenta para $18. 2 foldam Herói…?

Este é o range recomendado de open raise do cutoff do Upswing Lab para jogos ao vivo:



Range de raise padrão do cutoff do Upswing Lab (Vermelho = raise, Rosa = Raise opcional, Azul = Fold)

Neste exemplo, vamos assumir que o cutoff aumenta com todas as mãos opcionais.

Assumiremos que o button usa os ranges de 3-bet recomendados pelo Upswing Lab para jogos ao vivo:



Range padrão de button vs cutoff do Upswing Lab (Vermelho = 3-bet, Rosa – 3-Bet opcional, Laranja = 3-Bet ou Call, Verde = Call, Azul = Fold)

Vamos assumir que o button faz 3-bet apenas com as mãos vermelhas e laranjas.

O processo é bem similar com o que usamos na seção anterior. Primeiro vamos calcular os pot odds do Herói:

Pot odds = $12 (o quanto precisamos pagar) / $12 (nosso call) + $6 (nosso raise) = $18 (o 3-bet do nosso oponente) + $3 (blinds) – $5 (rake)
Pot Odds = $12 / $34 = 0.35 = 35% de equidade necessária.

Se não houvesse rake, o cálculo seria esse:

Pot Odds = $12 / $18 + $18 + $3
Pot Odds = $12 / $39 = 0.30 = 30% de equidade necessária.

Você pode ver que a diferneça de equidade aqui não é grande. Isso é porque o tamanho do rake é o mesmo ($5), mas o pote é maior. Na seção anterior $5 foram retirados do pote de $17 (29.4% do pote), mas $5 estão sendo retirados de $37 (13.5% do pote) neste caso.

Vejamos como deveria ser o range em cada caso (novamente, cortei as mãos incertas e que provavelmente não receberão equidade suficiente):


CONCLUSÃO

O rake no poker tem um grande impacto em como você deve jogar. Você precisa levá-lo em consideração e ajustar sua estratégia se quiser ganhar o máximo possível.

Se você joga online, pode repetir o processo acima para descobrir o impacto do rake nos seus jogos. Procure a estrutura de rake no site que você joga e faça as contas. Os ranges resultantes não serão tão conservadores quanto esses acima, mas aposto que você ficará surpreso quando ver o quanto o rake faz diferença online.

E se você joga ao vivo, agora entende o quanto o rake afeta seus ranges pré-flop.


Este artigo sobre rake no poker foi publicado originalmente no site Upswing Poker, onde Doug Polk, Ryan Fee e Parker Talbot dão cursos especializados nas várias modalidades de poker.

Fonte: MaisEV


Free no deposit poker bonus at BankrollMob

quinta-feira, 18 de junho de 2020

Raise Call Fold


Encurralado em uma Mão de Raise-Call-Fold




Decisões que fazem sentido na hora, mas…



por Roy Cooke


Existe uma escola de pensamento no limit hold’em que diz que se você não pode aumentar pré-flop, não deve jogar a mão. É a velha teoria do “se não puder dar raise, dê fold...”

Esse é um conceito fundamentalmente falho. Com muitas mãos é interessante ter vários oponentes: se você consegue cartas fortes, quanto maior o número de adversários, mais alta a probabilidade de ação. Pares pequenos ou médios, bem como cartas naipadas, se saem melhor com várias pessoas pagando as apostas – é por isso que elas geralmente são chamadas de “mãos de volume”.

Eu estava na posição under the gun em uma partida de limit hold’em de $30-$60, com um par de setes. É uma mão com a qual, a depender da textura da partida, é possível pagar, desistir ou aumentar.

São cartas com a quais eu dou call no tipo de jogo em que geralmente preciso conseguir acertar uma trinca para ganhar, cujas odds são de mais de 7-para-1. Pagar provoca mais pagamentos, e, entrando de limp, eu induzo jogadores a fazer isso. Dessa forma, aumento minhas chances de conseguir ação ao acertar a trinca. Muitos oponentes provavelmente pagarão pós-flop com mãos que não venceriam uma trinca, o que eleva o preço implícito de minhas cartas. Ao deixar de aumentar, também mantenho o preço inicial o mais baixo que puder. Um baixo custo no começo da rodada aumenta a chance de conseguir implied odds positivas. Em resumo: geralmente, quando você precisa trincar para vencer, é melhor ter vários oponentes e um baixo custo inicial.

Eu daria fold com 7-7 em uma partida tight com jogadores duros e agressivos. Não acho que valha a pena entrar de limp ou aumentar e depois encarar várias apostas pré-flop, fora de posição, contra oponentes traiçoeiros. As chances de tomar um raise, de não conseguir volume com cartas boas, e o fato de minhas decisões passarem a ser muito mais difíceis, com uma maior margem de erros, geram implied odds menores para minha mão.

Eu aumentaria com um par de setes ou maior se a partida tivesse poucos participantes – e também faria isso em diversas outras situações, se estivesse entre os últimos a falar. Mesas com menos jogadores pedem um grau maior de agressividade, e ter poucos oponentes aumenta ao valor de pares médios. Eu também subiria a aposta se tivesse uma imagem intimidadora na mesa e meus oponentes fossem daqueles que tendem a cometer o erro de jogar muito tight, desistindo quando deveriam ter pagado. Ao dar raise, quero que meus oponentes desistam, antes do flop, de mãos que contenham duas overcards ou, o que é melhor, um par maior (o que é bem menos provável). Eu ficaria feliz em levar os blinds, mas teria posição privilegiada, mesmo que eles pagassem. Embora a textura do jogo ou da situação que justifique um aumento com essa mão seja rara, ela tem aplicação.

A partida em que eu segurava os setes era tight-passive, quase sem raises pré-flop e com poucos jogadores. Como em muitas outras situações no poker, aquela não se enquadrava na categoria das decisões óbvias: em vez disso, conceitos precisavam ser misturados para que se chegasse à melhor decisão. Embora o jogo fosse tight, o que diminuía o volume de apostas, era também pouco provável que eu sofresse um raise. Tratava-se de uma partida na qual eu achava que realizava boas leituras, o que me fazia jogar mais loose do que em uma mesa na qual eu tivesse dificuldade em ler os jogadores e suas mãos. Minha imagem era tight, e eu não entrava no pote há várias rodadas. A decisão entre fold e call era apertada, então decidi entrar de limp, na esperança de conseguir ação e formar uma trinca, ou conseguir um flop favorável.

Às vezes o jogo, assim como a vida, simplesmente não coopera com seus planos. Um jogador depois de mim aumentou, outro oponente pagou, e um terceiro colocou mais uma aposta. Eu não estava em boa situação: tinha que decidir se pagava duas apostas adicionais, podendo me deparar com mais raises contra apenas três oponentes ou desistir com meus $30 iniciais no pote. Nenhuma escolha seria favorável, mas chamar os $60 parecia melhor do que abandonar os $30 no pote. Decidi pagar: entregar os $30 de bandeja é bem pior do que colocar $60 com uma chance – ainda que pequena – de acontecer algo melhor.

O pior enredo possível aconteceu. O oponente que tinha subido a aposta primeiro empurrou um reraise, e o que tinha dado o primeiro reraise chegou ao cap. Deixar $90 no pote seria horrível — então eu relutantemente coloquei os $60 adicionais em direção ao pote. Eu esperava o flop com um par de setes na mão, enfrentando três oponentes, após ter pagado cinco apostas! Ai!

Eu tinha certeza de que pelo menos dois de meus adversários tinham pares mais altos (um tinha A-A, o outro K-K), o que aumentava as chances de eles conseguirem trincas maiores. Era uma situação de EV (valor esperado) muito negativa, algo que me desagradava demais. Mesmo assim, cada decisão individual que tinha me levado até aquele ponto foi correta no momento em que foi tomada.

Apenas porque uma situação ruim se apresentou não significa dizer que as decisões tenham sido incorretas. As decisões no poker são baseadas em informações incompletas. Você nunca tem certeza absoluta de como seus oponentes irão agir – o máximo que se pode fazer são boas estimativas. Portanto, se você investiu mal seu dinheiro, pense a respeito de sua decisão sob a perspectiva do instante em que foi tomada. E, se ela fazia sentido, não se martirize pelo mau investimento.
Eu desisti no flop, descartei meus setes, e dei adeus aos meus $150.

Fonte: CardPlayer